Blog

Como elaborar um programa de mobilidade abrangente com orçamento limitado

Published: terça-feira, 28 de janeiro de 2020
Kris Herring

Quando se trata de desenvolver um programa de mobilidade abrangente, empresas menores ou empresas que têm volumes anuais baixos de realocação, muitas vezes enfrentam dificuldades devido a restrições orçamentárias. Em alguns casos, não entender a importância de um programa sólido pode impedir que os tomadores de decisão aloquem fundos suficientes. Em outros, eles podem não estar cientes de que programas estratégicos podem ser extremamente úteis quando os recursos são limitados. Abaixo, discutimos por que o desenvolvimento de um programa de realocação de qualidade é tão importante, independentemente do tamanho da população de mobilidade ou da frequência da implantação, e fornecemos algumas dicas úteis sobre o que as empresas podem fazer para serem mais bem-sucedidas quando estiverem trabalhando sob essas restrições.   

Por que programas de mobilidade são importantes?

Eles desempenham um papel na atração e na retenção de talentos essenciais: Como o recrutamento frequentemente é a primeira experiência de um colaborador recém-contratado em uma organização, proporcionar a ele uma realocação tranquila será fundamental para começar transmitindo a impressão certa. Da mesma forma, os talentos essenciais que já estão trabalhando para a sua organização podem ter vindo de uma empresa com um programa mais robusto. Seja qual for o caso, atrair e reter talentos está diretamente correlacionado ao apoio que você fornece aos seus colaboradores em todos os estágios do seu tempo de serviço na sua organização.

Eles oferecem oportunidades de mobilidade ascendente para seus funcionários: De acordo com um relatório do Korn Ferry Institute, o principal motivo pelo qual as pessoas quiseram mudar de emprego em 2018 foi tédio. Trinta e três por cento dos entrevistados disseram que precisavam de um novo desafio em sua vida profissional. Além disso, uma pesquisa de opinião realizada pela Robert Half Agency em janeiro de 2019 indicou que 62% dos trabalhadores norte-americanos fariam uma realocação pelo emprego certo. Os norte-americanos, contudo, não estão sozinhos. Uma pesquisa de opinião recente da Monster com 200.000 pessoas em busca de emprego de 189 países revelou que 60% dos entrevistados estavam dispostos a trabalhar no exterior, com números ainda mais altos para a Geração do Milênio.  Realocação é frequentemente a porta de entrada para oferecer oportunidades aos colaboradores que buscam chances de crescer, desenvolver suas habilidades e encontrar satisfação ao expandir sua empresa.

Eles podem ajudar sua empresa fornecendo uma vantagem competitiva:  Embora muitas empresas ofereçam um bônus de assinatura e suponham que isso fará com que o colaborador ponha a realocação em prática, essa crença pode, muitas vezes, acarretar efeitos negativos. Quando é solicitado que um colaborador gerencie sua própria realocação – desde a pesquisa à implementação –, ele não é capaz de se concentrar totalmente na nova função e na própria realocação. Por sua vez, isso pode gerar ineficiência e problemas com o processo de realocação que, com frequência, não são identificados até que se tornem problemas importantes. Sem nenhum suporte, o colaborador pode pagar a mais por serviços ou não ter qualquer recurso quando os fornecedores apresentarem falhas de serviço. Tudo isso pode facilmente se traduzir em perdas de produtividade e de finanças para a empresa.

Criando um programa de mobilidade sólido ao trabalhar com um orçamento baixo

Apesar dos recursos limitados e dos desafios enfrentados pelas empresas, há algumas medidas que as empresas podem adotar para criar programas de realocação sólidos. Elas podem: 

  1. Munir-se de conhecimento: Há uma série de conteúdos que podem ser encontrados online e por meio de especialistas no assunto que ajudarão você e sua empresa a aprender como outras empresas estão lidando com seus programas de realocação, além de tendências e melhores práticas no setor. Muitas empresas de gestão de realocação publicam relatórios anuais, informes técnicos e publicações em blogs. O conhecimento dessas empresas pode oferecer uma formação consistente sobre muitos dos tópicos que devem ser considerados ao realocar funcionários.
  2. Considere o tipo de programa sendo utilizado:

    Programa distribuído em níveis – Um único colaborador que planeja alugar um apartamento não precisa do mesmo nível de apoio financeiro que um executivo que tem família e uma residência para vender.  Sendo assim, muitas empresas desenvolvem um programa em que níveis variáveis de suporte e financiamento são designados e, então, administrados de forma consistente entre colaboradores semelhantes que se encaixam em determinada categoria ou grupo. Isso resulta no melhor e mais apropriado serviço para cada colaborador enquanto gerencia os custos para a empresa. 

    Programa de Núcleo Flexível (Core-Flex) – Em um programa de núcleo flexível, um grupo de benefícios principais é atribuído a todos os funcionários, como a mudança de bens, a viagem final e, talvez, um programa de venda de residências, nos Estados Unidos. Além disso, no entanto, cada colaborador recebe um orçamento adicional para utilizar em outros serviços que são específicos para suas necessidades. O programa também pode ser distribuído em níveis.

    Programa de pagamento único (Lump Sum) – Em um programa de pagamento único, os colaboradores recebem uma quantia finita de financiamento que gerenciam de forma independente. Embora muitas empresas forneçam esse tipo de programa para seus colaboradores, realmente não recomendamos utilizar este tipo de programa, a não ser que a empresa também ofereça apoio e orientação aos seus colaboradores sobre como melhor alocar os fundos. Sem orientação, novamente, a empresa arrisca perdas de produtividade e retorno sobre o investimento (Return on Investment, ROI).

    Programa Local-Plus – O programa local-plus aplica-se a transferências internacionais em que o colaboradore é inserido na estrutura salarial do país de destino, mas recebe alguns benefícios adicionais como transporte ou moradia. Além de descobrir que esse tipo de programa pode ser mais econômico, algumas empresas apreciam o fato de que os colaboradores são pagos da mesma maneira que seus colegas nativos locais, o que reduz a desigualdade e promove a consistência.   

  3. Participe de um fórum de realocação independente: Há ótimos benefícios a serem obtidos ao se unir a organizações como o Worldwide ERC ou o FEM. A associação normalmente é gratuita e oferece oportunidades inestimáveis para que os clientes com volumes menores de interajam com seus pares, tanto online quanto pessoalmente, Através de networking, as partes interessadas da empresa podem compartilhar ideias e obter informações úteis específicas para as metas dos seus programas.

  4. Trabalhe com uma empresa de gestão de realocação (Relocation Management Company, RMC): Muitas RMCs desenvolveram serviços especificamente personalizados para empresas que implementam um volume baixo de realocações por ano. A SIRVA, por exemplo, formou uma equipe do Advantage , uma divisão diferenciada na SIRVA composta por gerentes de contas treinados e especialistas em atendimento ao cliente. O iMOVE, nossa tecnologia de última geração projetada especificamente para o funcionário realocado, fornece orientação e recursos que lhe permitem autogerenciar sua realocação a partir de qualquer dispositivo habilitado na internet. Além de oferecer uma série de contatos de fornecedores aprovados pela SIRVA para cada etapa do processo de transferência, ele também fornece aos usuários comparações de custos, cronogramas e avisos sobre marcos, além de acesso a um consultor ao vivo quando necessário.

 

Desde a consultoria de políticas e programas à formação educacional e à implementação, uma RMC experiente se torna uma extensão da equipe interna de uma empresa, fornecendo anos de experiência que promovem eficiência e retenção de talentos. Além disso, ao oferecer aos funcionários o contato unificado de um consultor, os empregadores apoiam realocações tranquilas; no longo prazo, isso garante que a empresa esteja menos propensa às perdas financeiras e de produtividade mencionadas acima.

 

Não há dúvida de que criar um programa de mobilidade sólido é uma questão complexa, mas também é uma escolha estratégica – uma escolha que resulta em melhoria da reputação, da retenção de talentos e da produtividade do empregador. Não importa se você gerencia suas próprias realocações ou recorre à ajuda de uma RMC experiente, reconhecer as complexidades e a importância da mobilidade é uma primeira etapa fundamental. Em última análise, dedicar a quantidade certa de tempo, atenção e financiamento a um programa de mobilidade sólido torna-se um investimento que vale a pena para os colaboradores de uma empresa e sua estabilidade geral, seu crescimento e seu sucesso.  

 

Se sua empresa realizar menos de 30 realocações por ano, recomendamos que você entre em contato conosco em Jane.Yanosko@sirva.com para obter informações sobre como a equipe do programa Advantage da SIRVA pode apoiar seu programa de realocação.