Blog

Gerenciamento dos impactos inesperados da moradia temporária prolongada durante a COVID-19

Published: quinta-feira, 28 de maio de 2020
John O'Connell

Como a COVID-19 interrompeu as realocações em todo o mundo, algumas empresas têm tido necessidade de oferecer aos funcionários acomodações de moradia temporária prolongada. Os motivos que justificam a necessidade de moradia temporária prolongada variam, mas os impactos geralmente são os mesmos para as organizações encarregadas do gerenciamento dos desafios decorrentes. A seguir, exploramos algumas das causas que explicam a necessidade atual de moradia temporária prolongada durante a pandemia da COVID-19 e oferecemos algumas sugestões para o gerenciamento dos impactos inesperados resultantes dela.  

Motivos que explicam a necessidade de moradia temporária prolongada

São muitos os motivos pelos quais os funcionários foram forçados a passar por situações de moradia temporária prolongada. Exploramos algumas situações comuns abaixo:

  1. Realocações interrompidas — Muitos funcionários estavam no meio de suas realocações quando a pandemia começou, deixando-os em um estado indefinido. Alguns funcionários nunca deixaram seus locais de origem, mas não podem obter os bens domésticos que enviaram antecipadamente, os quais estão agora em contêineres de armazenamento localizados, em muitos casos, em portos distantes e inacessíveis. Outros funcionários se encontram em locais temporários, incapazes tanto de retornar aos locais de origem quanto de mudar para os locais de destino. Outros ainda concluíram suas realocações, mas receberam a solicitação de evacuar as “zonas quentes” e retornar aos locais de origem, onde não dispunham de nenhuma residência à espera.
  2. Quarentenas obrigatórias — Seja no retorno aos locais de origem seja a caminho dos destinos relacionados ao trabalho à medida que as áreas reabriam, muitos funcionários viram-se diante de um período de quarentena obrigatório de duas semanas, ou ainda mais prolongado, antes de retornar ou garantir suas residências de longo prazo/permanentes.
  3. Problemas de moradia — Os indivíduos que possuem residências perceberam que a COVID-19 afetou os mercados de moradia em todos os lugares.Isso resultou em atrasos que alguns funcionários precisaram enfrentar para vender suas residências enquanto outros encontraram obstáculos ou empecilhos relacionados ao fechamento de vendas em locais de destino. Quando funcionários ou seus familiares (ou os vendedores das residências e seus familiares) são diagnosticados com o vírus, eles ficam fisicamente incapazes de desocupar as residências atuais e/ou migrar para novas residências.Os indivíduos que pretendem alugar residências no novo local também foram afetados por uma série de circunstâncias, como as restrições governamentais relativas ao fornecimento presencial da assistência para o locatário e/ou às tendências de assistência virtual que visam à saúde e à segurança.Além disso, em alguns países, os serviços de mudanças simplesmente foram interrompidos por completo.
  4. Impactos em remessas e portos — Os portos e outros centros de remessa sofreram fechamentos temporários e/ou escassez de pessoal no mundo inteiro, provocando espera prolongada nas operações dos contêineres de bens domésticos. Com isso, seus proprietários não podem recuperá-los. Nessas situações, as taxas de armazenamento e transporte podem se acumular.
  5. Problemas de imigração — Em alguns casos, ocorreu lockdown durante o período de expiração do visto de permanência ou de trabalho. Em outros casos, as extensões de visto ou permissão atrasaram porque os departamentos municipais que gerenciam essas permissões estavam fechados ou funcionavam com pessoal insuficiente durante esse período.

Apesar das preocupações iniciais dos clientes de que pudesse haver uma escassez de disponibilidade de unidades de moradia temporária, a SIRVA não sofreu com falta de inventário. No entanto, surgiram vários desafios para as empresas como consequência das situações mencionadas anteriormente. Entre esses itens estão aumentos inesperados nos custos de moradia temporária e uma preocupação maior com as responsabilidades administrativas e a segurança. A SIRVA identificou quatro etapas de ação que as empresas devem considerar ao enfrentar esses desafios. 

  1. Analisar, priorizar, planejar e prever — Como as respostas regionais à COVID-19 continuam a mudar (e continuarão mudando por um período indeterminado), é importante permanecer informado sobre os fatores que afetarão os funcionários em realocação da empresa durante a remobilização, isso inclui tendências específicas de uma região geográfica referentes à imigração, a forma como os provedores de serviço de partida fornecerão o serviço e mudanças no mercado imobiliário. As partes interessadas devem também definir claramente quais são as metas da empresa para a remobilização.Isso permitirá que elas levem em consideração os planos de mudança da moradia temporária dos funcionários e avaliem esses planos em relação às metas organizacionais para garantir que isso ocorra no momento ideal.Por exemplo, se as partes interessadas da empresa decidirem que há uma necessidade urgente de fazer a mudança de 20 pessoas durante o próximo trimestre para vários locais de destino, mas for possível fazer a mudança de outros 11 funcionários posteriormente, isso permitirá mais tempo para pesquisa e priorização das mudanças mais urgentes.

    Haverá um “novo normal” na mobilidade, à medida que fornecedores e parceiros retomem as cargas de trabalho. As condições, as limitações e os requisitos terão grande variação de um destino para o outro. Como as etapas de mobilidade são interdependentes, as partes interessadas se beneficiarão do trabalho em contato direto com parceiros de mobilidade, pois os parceiros podem auxiliá-los a prever e se adaptar às condições que estão em transformação. Os parceiros de mobilidade experientes têm um relacionamento direto com os fornecedores e os especialistas no país. Juntos, eles podem ajudar a proporcionar uma experiência de remobilização mais suave e auxiliar as empresas a minimizar os custos associados a incerteza, etapas perdidas, correções de curso e ineficiências.

  2. Utilizar as propriedades de moradia/autogerenciadas corporativas dos parceiros de mobilidade — Alguns provedores de mobilidade detêm e/ou gerenciam instalações que oferecem opções econômicas de moradia temporária às empresas. Na SIRVA, por exemplo, além de oferecer moradia de alta qualidade com preços competitivos, nossos profissionais de moradia corporativa e a rede de parceiros líderes de cada região mantêm-se atualizados sobre a gama de moradias disponíveis e o status dos contingentes de designados de nossos clientes. Isso nos permite encontrar soluções criativas para necessidades de moradia mesmo nas mais desafiadoras circunstâncias. O trabalho em contato direto com os parceiros de mobilidade pode ajudar as partes interessadas da empresa a encontrar opções acessíveis para suas necessidades de moradia temporária.
  3. Garantir métodos de sanitização adequada — Para a segurança e o bem-estar dos funcionários, os tomadores de decisão da empresa devem sempre avaliar as propriedades detalhadamente, inclusive compreendendo as etapas de limpeza e sanitização entre inquilinos/hóspedes que as empresas de gerenciamento puseram em prática.Mais uma vez, o parceiro de mobilidade pode e deve desempenhar um papel importante: comunicando requisitos importantes de conformidade referentes à moradia e ajudando a avaliar sua conformidade.
  4. Considerar a compensação de custos de moradia temporária modificando outros componentes do programa — Os custos associados à moradia temporária prolongada surpreenderam muitos funcionários durante a pandemia. Embora muitas vezes tenham sido necessárias providências para moradia prolongada, é importante lembrar que outras modificações que podem ser feitas em um programa de realocação de uma empresa para compensar esses custos anteriormente inesperados. Incentivamos que as partes interessadas da empresa entrem em contato com seus parceiros de mobilidade para obter orientação e sugestões.

À medida que as empresas enfrentam as necessidades de moradia sem precedentes de seus funcionários durante a pandemia da COVID-19, os parceiros de mobilidade podem ser uma fonte confiável de suporte e soluções inovadoras, tanto no que se relaciona à obtenção de propriedades de moradia temporária quanto no gerenciamento da transição para acomodações mais permanentes.

Para obter mais informações sobre como a SIRVA pode ajudar com a moradia temporária e os desafios associados, entre em contato conosco pelo e-mail concierge@sirva.com.  

Como a COVID-19 interrompeu as realocações em todo o mundo, as empresas lidam com desafios inesperados que resultam da moradia temporária necessária para os funcionários.